segunda-feira, 6 de junho de 2011

LG fica mais agressiva no setor 3D.

Marca coreana quer ser “divisor de águas” com tecnologia que melhora a experiência de ver TV em três dimensões


Getty Images

TV Cinema 3D, da LG

3D: experiência está revolucionando a venda de TVs na Europa e no Brasil

São Paulo - No princípio, era o tubo. Era tudo em preto e branco. Havia poucos canais, chiados e chuviscos. Após várias décadas sem apresentar significativas novidades – ou nenhuma – a televisão, companheira de todos e de todas as horas, vem ganhando, nos últimos anos, uma tecnologia que evolui no mesmo ritmo alucinante dos softwares de informática e dos programas de transformação e manipulação de sons e imagens.


A sigla é o principal atributo de uma nova linha de produtos da LG Electronics, a TV Cinema 3D, que promete revolucionar o segmento 3D e ser um “divisor de águas” no mercado de televisores. Ela foi lançada há cerca de três meses na Europa e Estados Unidos, e começa a ser vendida no Brasil a partir de julho.A mais recente delas pode ser reconhecida pela sigla FPR (Film Patterned Retarder), um filme existente sobre a tela ultrafina, que aperfeiçoa a separação de imagens para o olho esquerdo e para o olho direito proporcionando assim uma nova experiência em três dimensões.

A linha TV Cinema 3D é o principal lançamento da empresa no país neste ano. De acordo com o diretor de marketing da LG Electronics no Brasil, Humberto De Biase, a tecnologia da marca é “revolucionária” e a chegada do produto representa o momento de maior ousadia e agressividade do anunciante no mercado brasileiro.

Para o lançamento, propriamente dito, a LG optou por uma estratégia de marketing cultural, aproveitando a realização do Hollywood Brazilian Film Festival, que aconteceu semana passada, em Los Angeles. A LG foi a principal patrocinadora do festival, associando a marca ao mundo do cinema.

Comparação

A ousadia da LG começou na apresentação da linha TV Cinema 3D, para a imprensa brasileira, semana passada, em Los Angeles. Para mostrar o diferencial tecnológico da sigla FPR, a empresa colocou lado a lado um novo modelo LG e um aparelho Samsung igualmente dotado de tecnologia 3D.

“A Samsung sabe que estamos fazendo essa comparação. Na verdade, tentamos chamar todos os nossos concorrentes para mostrar publicamente quem tem a melhor tecnologia 3D, mas ninguém aceitou o desafio”.

Em função da sigla FPR, a linha TV Cinema 3D possui os primeiros televisores do mundo com a tecnologia 3D passiva. Em síntese, o termo “passiva” quer dizer que é o aparelho de TV, a partir de agora, o principal responsável pela experiência em três dimensões e não mais os óculos 3D.


Na nova tecnologia da LG, os óculos continuam necessários, mas eles ficaram mais semelhantes aos óculos 3D das salas de cinema, mais leves – porque não precisam de baterias –, mais confortáveis e, principalmente, mais baratos em relação aos chamados “shutter glasses”, os óculos que caracterizam a tecnologia “ativa” para ver TV em 3D. Esses “shutter glasses” requerem sincronização com a tela do televisor, enquanto a tecnologia passiva da LG dispensa a sincronização.

A nova tecnologia da LG, pelo fato de os óculos não precisarem ser sincronizados nem possuírem abertura e fechamento das lentes, também elimina a instabilidade das imagens tridimensionais.

“A experiência ficou mais agradável”, resumiu o gerente de produto, Daniel de Almeida. Segundo ele, a nova tecnologia também conseguiu eliminar os “blackouts” entre os frames.

“Esses blackouts com os óculos de tecnologia ativa deixavam a vista cansada depois de 20 minutos vendo uma TV em 3D. Agora não”, disse. Almeida também ressaltou que os novos modelos da LG permitem ângulo de visão mais amplo se comparado aos modelos de tecnologia 3D ativa que exigem que o telespectador fique diretamente em frente ao aparelho de TV.

A linha TV Cinema 3D também faz conversão de imagens 2D em 3D. “É possível ver jogos e novelas com a profundidade 3D”, disse o diretor de marketing Humberto De Biase, ressaltando também as características de “smart TV” da nova linha, que também possui recursos de interatividade, permitindo, com conexão com a internet, acesso ao conteúdo de portais, revistas e de locadoras virtuais. A LG já fez parcerias com o UOL, iG, Caras, Saraiva Digital, Terra TV Video Store e NetMovies.

A marca é a líder do mercado de televisores no Brasil, segundo De Biase, com 28,5 de market share. Em segundo lugar, de acordo com ele, está a Samsung, com cerca de 20%.

As vendas totais dos televisores do segmento FPD (Flat Panel Display), que inclui os modelos LCD, LED e plasma, devem chegar a 9,8 milhões de unidades este ano, um aumento de 50% em relação ao ano passado, também de acordo com os executivos da LG.

Segundo De Biase, o mercado de TV 3D responde atualmente por cerca de 5% do mercado total de televisores. Ele disse que a LG já tem cerca de 30% desse nicho 3D e quer ficar com “mais da metade” do mercado com o lançamento da linha TV Cinema 3D.

A experiência 3D está revolucionando a venda de TVs na Europa e no Brasil, segundo executivos da LG, e deverá fazer o mesmo no Brasil. A expectativa é de que esse mercado de 5% do total de aparelhos de TV cresça pelo menos 1.000% até o final do ano, impulsionado principalmente pelas vendas do período de Natal.Revolucionando


De acordo com De Biase, apesar de não ter um número sobre evolução de vendas da LG nos Estados Unidos, ele afirmou que, após o lançamento da TV Cinema 3D, “todo mundo que vai comprar TV tem preferência por um modelo em 3D e nesse ponto a tecnologia da LG é superior”.

O mercado de TV em 3D também vem sendo aquecido pelos estúdios de cinema que lançaram no ano passado um total de 44 filmes captados em 3D. Transmissões de futebol e outras modalidades esportivas também vêm sendo captadas em 3D.

Os modelos da nova linha da LG serão oferecidos em telas de 32, 42, 47 e 55 polegadas. Os preços para os modelos de 32 e de 55 polegadas ainda não foram definidos. O valor médio sugerido para o modelo de 42 polegadas será de R$ 4.199,00 e para o de 47, de R$ 5.299,00.

Todos serão acompanhados de quatro pares de óculos. Unidades avulsas serão vendidas por cerca de R$ 50,00. Os shutter glasses, os óculos da tecnologia ativa, segundo os executivos da LG, têm preço médio de R$ 250,00.

A LG acredita que os preços sugeridos fazem parte da estratégia “agressiva” para fazer da nova linha TV Cinema 3D um “divisor de águas” no mercado de televisores. “Não adianta nada ter uma tecnologia de ponta para chegar a um preço inacessível ao consumidor. Nós não acreditamos que ser mais premium é ser mais caro”.

A marca também investe em marketing para atingir todos os pontos de contato com o consumidor. Além das parcerias com portais e outros veículos, e com as locadoras virtuais, a LG prepara ações especiais de endomarketing e nos pontos de venda.

Outro foco são os óculos. Pelo preço considerado mais acessível, eles podem virar o principal elo de “viralização” da tecnologia FPR. Eles já estão sendo produzidos com cores e modelos diferenciados e também estão sendo negociadas parcerias com diversos estilistas para criação de óculos diferenciados. “Ver TV 3D também é diversão, com família ou com grupo de amigos”, disse De Biase.

Campanha

Não haverá menção de marcas concorrentes, mas a campanha de lançamento da linha TV Cinema 3D, da LG, é de puro apelo comparativo.

Serão seis filmes de 15 segundos e outros dois de 30 segundos com veiculação prevista para TV aberta, por assinatura e cinema a partir de julho

Os comerciais são coreanos. Foram criados pela Y&R de Seul e estão sendo adaptados pelo escritório brasileiro da multinacional. A Y&R Brasil está criando a campanha de mídia impressa.

“Estamos fazendo uma campanha que usa a comparação de um jeito divertido, quase cômico, já que os brasileiros não gostam de comparação agressiva”, disse De Biase. Ele não revelou os investimentos da campanha nem os investimentos de marketing do anunciante. Limitou-se a dizer que 50% da verba de marketing da LG para o Brasil neste ano está direcionada ao lançamento da linha TV Cinema 3D. Ele também não revelou os investimentos feitos no Hollywood Brazilian Film Festival nem dos outros diversos patrocínios da marca, que está associada à Fórmula 1 e a equipes de futebol.

Fonte: exame.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário