segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Novo Fiat 500 reforça a importância dos pequenos no mercado mundial de carros



Compacto foi o escolhido para ser o cartão de visitas na volta da Fiat para os EUA


Fiat 500 passa a ser fabricado no México (era feito na Polônia) para tentar conquistar mercado dos EUA

Há 10 anos, escolher um carro compacto para ser o ícone de uma marca no retorno ao mercado norte-americano, onde gigantescos SUVs e picapes dominam, seria loucura. Mas foi justamente essa estratégia que a Fiat escolheu, amparada pela crescente tendência mundial do down-size (diminuição do tamanho) no mercado de automóveis.

Em abril deste ano, 25% das vendas nos EUA foram de compactos ou subcompactos, ante 10% de uma década atrás. O modelo escolhido pela Fiat é o 500 (Quinhentos ou Cinquecento), agora fabricado no México, na planta da Chrysler na cidade de Toluca. Foi-se o tempo em que carro pequeno era sinônimo de carro simples.

Os inúmeros lançamentos no segmento dos compactos Premium comprovam que esse filão é de vital importância para as montadoras, em um mundo no qual os consumidores procuram opções menos agressivas ao meio-ambiente – carros mais econômicos, menos poluentes e que usam menor quantidade de matéria-prima na construção.

Audi não quis ficar de fora da festa e lançou o compacto A1, com motor 1.4 e câmbio sequêncial


Apesar disso, esses consumidores não abrem mão do conforto e da segurança. Usados, principalmente, como segundo ou terceiro carros da família, os compactos Premium se tornam o titular no uso cotidiano para enfrentar a dificuldades na hora de encontrar uma vaga de estacionamento e, principalmente, no para-e-anda dos congestionamentos.

Isso explica o crescente uso dos câmbios automáticos nesses carrinhos de luxo. O Fiat 500, por exemplo, tem duas opções de câmbios: o Dualogic de cinco marchas (automatizado) e o automático de seis marchas. Além do novo lançamento da Fiat, Mini Cooper, Audi A1, smart fortwo, VW Beetle e Kia Picanto, entre outros, também têm versões que dispensam o pedal da embreagem.

Mas, porém, não dispensam freios ABS, air bags, controle de tração, sistema de som de alta fidelidade, entre outros mimos fundamentais em um compacto Premium.

Assim como a Fiat reforça na campanha de marketing do 500, um carro pequeno pode ser um carrão, já que é equipado com motores modernos, potentes e econômicos, além de toda a parafernália tecnológica de conforto e segurança que antes eram exclusiva dos modelos de tamanho avantajado. A ‘inclusão social’ finalmente chegou ao mercado de automóveis.



r7.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário