segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Bia e Branca Feres estrelam comercial com direito a topless


O viaduto Santa Ifigênia, no centro de São Paulo, recebeu na última sexta-feira uma ação de marketing da marca de goma de mascar Trident, que tinha como conceito permitir a realização de uma fantasia sem ser visto no meio da rua - uma caixa espelhada impediria os transeuntes de ver o que acontece dentro, embora a pessoa dentro pudesse observar tudo o que ocorria fora.
O ator Caio Castro e as gêmeas do nado sincronizado Bia e Branca Feres - que apimentaram a ocasião com um topless - integraram a ação, motivando o apelo do contato de anônimos com os famosos.
Mas o público não teve contato maior que a chance de fotografá-los a alguns metros de distância.
A passarela do #eununca - referência a uma das hashtags usadas pela campanha no Twitter - dá oportunidade para pessoas experimentarem algo novo, de acordo com a empresa.
"A passarela é um lugar onde será possível viver todos os tipos de sensações nunca experimentadas, a concretização perfeita do conceito da campanha de lançamento, que aposta na ideia de qualquer um provar uma sensação impossível de explicar", afirma o gerente de marketing de gomas da Kraft Foods Brasil, Vinicius Germano.Depois de competição em uma rede social, o administrador de rede Rodrigo Bastos, 29 anos, veio do Rio de Janeiro para supervisionar o desafio destinado às gêmeas, que consistia em dançar de topless o sucesso "Não se reprima", do finado conjunto Menudos.
Ele tinha a tarefa de constatar se houve a nudez.
Seu nervosismo era nítido: esfregava as mãos e secava o suor nos cabelos.
O direito de ser o único a espiar, adquirido através de uma promoção em uma rede social, estava condicionado a ver tudo por um buraco.
"Vi que elas tiraram mesmo o sutiã.
Estavam de costas, mas vi por um espelho, foi legal", garantiu depois."Acho que vai ser como... saltar de paraquedas pelada", disse Bia.
As duas declararam ter ficado com o coração acelerado por se despir em um local público, mesmo sem que ninguém visse.
"Nós víamos tudo de dentro", disse Branca.A auxiliar de departamento Kátia de Azevedo, 29 anos, caminhava para o trabalho no centro de São Paulo quando foi surpreendida pela
movimentação. Ela entrou na fila somente para ver de perto o ator, Caio Castro.
"Ele é muito lindo", disse, questionada sobre o motivo de esperar, mesmo atrasada. Sabendo que ele já havia saído da "passarela do #eununca", montada no elevado, juntou-se às jovens que se esgoleavam tirando fotos do famoso com o celular na saída.A chegada do astro da propaganda estava prevista para as 9h30, mas ele só apareceu por volta de uma hora mais tarde.
Chegou de óculos escuros e boné, fazendo um claro esforço para se mostrar solícito com todos, desde a organização até os populares, cumprimentando com um movimento das duas mãos.
"Olha pra cá! Tira os óculos!" implorava uma jovem. "Eu não consigo abrir os olhos com este sol!", respondeu o ator.
Caio pegou um bebê no colo e chegou a dar a mão até a um bêbado que tumultuava a gravação. "Você está muito bem na novela!", gritava o homem com a voz embargada pelo álcool.
"Tamo junto", respondeu o ator, ainda com a mão retida pelo curioso.Caio pulou em uma corda feita de gravatas.
Tocou bateria como qualquer principiante tocaria. Permaneceu cerca de uma hora no lugar e saiu empurrado pelos seguranças, que apressaram seu passo em direção ao táxi que o levaria ao aeroporto direto para o Rio.
Logo em seguida, foi a vez das gêmeas do nado sincronizado.
A imagem das três personagens da ação fica exposta até sábado, quando a passarela será desmontada.
Quem quiser pode ficar oculto dentro da caixa e fazer o que quiser sem ser visto.





not.economia.terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário