sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Uso das redes sociais para publicidade desagrada aos utilizadores


A maior parte dos utilizadores das redes sociais nos países desenvolvidos não gosta de receber mensagens publicitárias enquanto usa as redes sociais, nem pretende ser «amigo» ou «fã» de marcas, nem tampouco acede a blogs de empresas.
Esta é uma das conclusões de um estudo da TNS, que inquiriu cerca de 72 mil internautas.
Entre os menos susceptíveis às mensagens publicitárias nas redes sociais estão os britânicos, com dois terços de entre estes a afirmar não ter qualquer interesse em ser «amigo» de marcas comerciais, no Facebook e no Twitter.
Nos países desenvolvidos a percentagem média dos quem não querem ter marcas como amigos nas redes sociais é de 57 por cento, descendo para 45 por cento na América Latina.

Entre os mais interessados em ter as marcas como amigas nas redes sociais estão os colombianos, sendo que dois terços vêem essa situação como positiva, e os mexicanos, com 63 por cento dos utilizadores a não ter objecções quanto a essa possibilidade.
O estudo mostra ainda que há um grande dividendo digital entre os vários países analisados, devido, principalmente aos preços.
Em países como o Egipto, a Nigéria e a Índia os utilizadores afirmaram não usar mais a Internet devido ao custo.
Este estudo, que surge numa altura em que várias multinacionais estão a investir nas redes sociais como forma de conseguir novos consumidores, mostra que é nos países em que a economia está em maior desenvolvimento que os consumidores se mostram mais abertos a ser «amigos virtuais» das marcas e que são estes, também, os que consideram poder aprender sobre as marcas e conhecer melhor as suas estratégias e produtos por esta via.





http://sol.sapo.pt

Nenhum comentário:

Postar um comentário