quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Kibon completa 70 anos resgatando o passado


Marca relança promoção “Picolé Premiado” e aposta em novos produtos e edições retrôs para atrair a atenção dos consumidores


História da Kibon é iniciada em 1941, quando a ameaça de guerra entre China e Japão afungetou a empresa U.S. Harkson de Xangai para o Rio de Janeiro

Uma das marcas mais amadas pelos brasileiros chega aos 70 anos em 2011.
Lembrada pelos picolés clássicos, ou ações de marketing criativas, como a promoção iPod no Palito, de 2008, a Kibon comemora o aniversário resgatando sua tradição e relembrando o passado.
Responsável por trazer para o Brasil a produção industrial de sorvetes, a história da Kibon é iniciada em 1941, quando a ameaça de guerra entre China e Japão afungetou a empresa U.S. Harkson de Xangai para o Rio de Janeiro.
A companhia fazia ovos desidratados, mas, para compensar os períodos em que a fábrica ficava ociosa no verão, decidiu por iniciar a produção de sorvetes.
O sucesso foi imediato com a venda de três milhões de picolés em apenas um fim de semana.
Já em 1942, sob o nome Sorvex Kibon, circulavam os primeiros carrinhos amarelos e azuis, com lançamentos como o Eskibon e o Chicabon.
Durante os anos 1940, o portfólio aumentou, com o surgimento de versões clássicas como morango e chocolate, e a Kibon passou a investir em ações de marketing.
Algumas delas, ainda nos primeiros anos, incluíam aviões sobrevoando as praias cariocas e lançando picolés presos a paraquedas (alguma semelhança com o marketing de guerrilha?).
O retorno veio rápido e, com a demanda aumentando, em 1949, a Kibon passou a produzir também em São Paulo.
Aliando inovação e planejamento de marketing, a marca trilhou uma trajetória de sucesso e, aos 70 anos, mantém-se líder de mercado, apesar de não divulgar números.





exame.abril.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário