terça-feira, 13 de março de 2012

Marketing do Timão aliviado com saída de Adriano


A saída de Adriano não trouxe alívio apenas para os responsáveis do departamento de futebol profissional. O marketing também comemorou a rescisão de contrato do jogador, que fez apenas oito jogos em quase um ano.

No período em que esteve no Parque São Jorge, o noticiário sobre o Imperador foi mais negativo do que positivo. Além disso, o atacante não agregou valores ao departamento, não fez por merecer qualquer campanha publicitária em jornais, rádio e televisão nem fez jus a qualquer tipo de exploração de sua imagem perante à torcida, sempre ressabiada com ele.

Na única tentativa do departamento, a ação virou piada. Em julho do ano passado, na tentativa de promover um bate-papo virtual com a Fiel no Twitter (Twitcam), a conta oficial do clube microblog perguntou: "Alguém aí tem alguma informação do jogador Adriano?", com a hastag #ondeestaAdriano?. Em segundos, vieram as mais diferentes respostas. Mas todas com ironia: "No bar", "Cracolândia", "Na inauguração do teleférico da Vila Cruzeiro", "É impressão minha ou o próprio site do Corinthians ta zuando o Leitão?".

Em termos de produtos, foi criada apenas uma camiseta, que o jogador exibiu em sua apresentação, com os dizeres “Mais um guerreiro da República” na frente e “Do Império à República Popular do Corinthians” atrás, que foi vendida a R$ 49 - posteriormente, foi necessário abaixar o valor para R$ 39. Não se tem números da vendagem.

Para piorar, o clube se viu mais uma vez sendo relacionado à problemas policiais, como a investigação para saber o autor do disparado contra uma jovem dentro do carro de Adriano, durante as férias, no Rio de Janeiro. Desde os imbróglios envolvendo a ex-parceria MSI e a saída conturbada do ex-presidente Alberto Dualib, processado na Justiça por diversos crimes, o Corinthians não vivia tal situação.

Um das pessoas com trânsito no departamento que foi fundamental na reconstrução da imagem do clube após o rebaixamento, em 2007, resumiu o fim da passagem de Adriano pelo Corinthians, cerca de três meses antes do término do contrato.

- Ele era uma bomba relógio, você nunca sabia quando seria o próximo problema. Não há como negar que isso ajudará...- afirmou.

Em tempo: em abril do ano passado, mídia especializada em marketing noticiou que a 9ine, empresa de Ronaldo, colocaria Adriano em seu portfólio de clientes, na qual fazem parte Anderson Silva (MMA), Falcão (futsal) e Luan Santana (cantor). Algo que nunca aconteceria...

Desde a saída de Ronaldo, no início de 2011, o Corinthians não tem um nome forte para ações publicitárias e repercussão internacional. A tentativa de fazer do Imperador esse novo Fenômeno para a Fiel não foi bem sucedida.

CAMISA 10

Nem mesmo a camisa 10 nas costas fez com que a Fiel tivesse uma imagem positiva do atacante. O número, tradicionalmente o mais vendido em qualquer loja de esporte, passava quase despercebido pelo torcedor. Com a rescisão do contrato, o clube deve devolver a 10 ao meia Douglas, que foi dono durante toda sua primeira passagem (2008/09) - Mastro, neste momento, usa a camisa 15.

Nenhum comentário:

Postar um comentário