quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Sacos de pão com anúncios viram canal de publicidade


Mais do que embrulhos, os sacos de pão agora têm outras finalidades. Empresários ligados à publicidade perceberam que as embalagens tradicionalmente pardas podem servir de espaço para anúncios coloridos de empresas. "É uma forma barata e segmentada de anunciar. Além disso, o pão está presente nas casas do Brasil inteiro", explica Wagner Rover, sócio proprietário da franquia curitibana DivulgaPão.
A rede vende os espaços para os anunciantes - o saco inteiro tem 32 espaços -, faz o layout do anúncio e cuida da distribuição para as padarias. As panificadoras, por sua vez, não pagam pelas embalagens recebidas - o que é atraente, já que elas deixam de comprar esse insumo. Desde a sua fundação, em 2011, a marca já entregou 2,5 milhões de sacos de pão com publicidade.

A Publipan, franquia espanhola que nasceu em 2005, está presente em 21 países e chegou ao Brasil em 2010. Ela trabalha com o mesmo modelo de negócio. "As padarias aceitam as parcerias porque percebem que essa é uma forma de fazer girar o comércio local. Com mais dinheiro em circulação, as pessoas passam a consumir mais nos estabelecimentos", diz Regiane Freitas, gerente de franquias da rede.

Tanto a DivulgaPão, quanto a Publipan, focam a sua atuação nas pequenas empresas - mas é possível, também, fechar um anúncio único, formato que é procurado por grandes organizações. "O anúncio em saco de pão é, além de mais barato do que a mídia de massa, uma forma de atingir diretamente uma determinada região", aponta Rover.

As duas franquias estipulam um raio de 100 mil habitantes para cada franqueado. Isso quer dizer que, mesmo em uma cidade grande como São Paulo, um anunciante que não queira ir muito além de seu bairro de atuação será atendido. A DivulgaPão possui 50 unidades espalhadas pelo País e a PubliPan, 98.

Em 2012, a rede de Curitiba estima que vai faturar R$ 1,5 milhão. A marca espanhola faturou com as vendas de anúncios R$ 1,3 milhão ano passado e quer fechar o ano com um faturamento de R$ 1,7 milhão.

Papel dos franqueados
O que as redes buscam no franqueado é a capacidade de prospectar clientes. Por isso, procuram candidatos que possuam um bom network em sua região e que estejam dispostos a vender de porta em porta. "Para o franqueado que está no começo, em uma localidade que não conhece o modelo de anúncio, é preciso visitar, no mínimo, entre oito e dez empresas por dia na primeira e na segunda edições", afirma Regiane.

Cada edição, tanto na DivulgaPão quanto na Publipan, tem uma tiragem de 30 mil sacos de pão. O franqueado precisa "fechar" todo o espaço para que então o material seja confeccionado e distribuído para as padarias.

O investimento inicial para se tornar um franqueado da Publipan é de R$ 30 mil, mais um capital de giro de R$ 10 mil. A gerente de franquias da rede estima que, depois de um tempo de mercado, o empreendedor passe a realizar uma venda passiva, já que o telefone da rede é impresso no saco de pão e são as empresas que começam a procurá-los para anunciar.

Na DivulgaPão, a taxa de franquia é de R$ 8 mil. Nas duas redes, os franqueados não têm pontos de venda fixos e atuam em home office.

O franqueado das redes também tem certa liberdade para montar a preço do anúncio. A DivulPão trabalha com duas tabelas, uma com o valor máximo cobrado e outra com o valor mínino. "Isso faz com que o franqueado possa, por exemplo, dar um desconto para o cliente mais assíduo.", diz Rover. Em média, cada anúncio da empresa sai por R$ 550. Já o da Publipan, que também varia, custa entre R$ 290 e R$ 350.







Nenhum comentário:

Postar um comentário