terça-feira, 8 de outubro de 2013

Investir em Mobile Marketing já é necessidade nas empresas

Brasil é o quarto país do mundo em vendas de smartphones




Acompanhar este novo contexto requer mais "adaptação" do que soluções complexas e acessíveis apenas aos grandes. Especialista da WSI, que congrega a maior rede de consultores de Internet do mundo, dá as dicas
Um levantamento recente, feito pela consultoria Morgan Stanley e divulgado pela analista Mary Meeker, aponta que o Brasil é o quarto país do mundo em número de smartphones. São 70 milhões de aparelhos e 27 milhões de novos usuários de Internet entre 2008 e 2012. Cerca de 45% da população brasileira está na rede que, agora, também está na palma da mão. Este novo contexto vem mudando as ações de marketing de empresas dos mais diferentes portes e áreas de atuação.
Segundo Marcelo Cruz – máster-franqueado da WSI, especialista em Marketing de Internet, e professor de Mídias Sociais e Mobile Marketing da FECAP (Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado) – é urgente que as empresas repensem suas estratégias de divulgação institucional, de produtos e serviços. “A WSI entende que 90% dos sites no mundo precisarão ser refeitos. Quem sair na frente, será beneficiado”, afirma.
Esta nova realidade esbarra mais em adaptação do que em soluções complexas a acessíveis apenas às grandes empresas. “É preciso buscar orientação de profissionais para que o investimento feito nas ações de Mobile Marketing sejam assertivas e tragam os resultados esperados”, alerta Cruz.
A seguir, o especialista dá dicas sobre como usar o Mobile Marketing a favor das empresas: 
Tenha um site que possa ser lido em telas de computadores, tablets e smartphones: A leitura das informações deve ser fácil, com fontes compatíveis e com funcionalidade. “A navegação em um tablet tem que ser feita apenas com dois dedos. No caso dos smartphones, com apenas um dedo, para ser confortável. Pense nisso quando for criar um site”, indica.
Disponibilize sempre as mesmas informações: Tanto no site para um computador tradicional quanto para tablets e smartphones, as informações que o internauta pode ter acesso devem ser as mesmas. “A diferença está no tamanho da tela, por isso, é preciso otimizar imagens para que o usuário encontre a informação que precisa”, afirma.
Aproveite a urgência do internauta: Quem usa tablet ou smartphone para encontrar uma informação na Internet o faz porque precisa usá-la imediatamente. Pode ser o mapa do local, para saber como chegar até lá, ou o telefone, para ter mais informações. “Ele está sempre pronto a tomar uma decisão, a realizar uma compra, diferentemente de quem faz pesquisas num desktop ou laptop. Aproveite essa urgência”, alerta.
Priorize o contato: Quem usa smartphone ou tablet precisa de informações de contato mais facilmente do que outros usuários. “Telefone, endereço e o mapa do local são informações fundamentais e que devem "aparecer" de imediato”, explica o consultor.
Use o Google a seu favor: “O Google entende quando alguém procura uma informação num computador tradicional ou num smartphone ou tablet e já indica, neste caso último caso, o que está mais perto do usuário”, lembra o especialista. Ele se refere à tecnologia que permite ao site de buscas identificar se o internauta está ou não em trânsito e, neste caso, sugerir os serviços procurados que estejam geograficamente mais próximos – não necessariamente os mesmos que apareceriam na primeira página se o internauta estivesse num desktop ou laptop. Por isso, o direcionamento do marketing digital, em cada caso, deve ser diferente.
Escolha a tecnologia certa: Você já pode programar em plataformas que adequam o site para smartphones e tablets ou para computadores tradicionais. “Escolher a melhor opção depende do tipo de negócio e da estratégia de marketing”, diz o especialista.
Não perca oportunidades: O turismo está aquecido no Brasil por causa dos eventos esportivos que ocorrerão. E o turista estará, em sua maioria, usando smartphones e tablets, não computadores. “Quem não tiver um site que possa ser lido nessas plataformas, estará fora do mercado”.
Ranking: O Google penaliza, desde o início deste ano, sites que não estejam preparados para serem navegáveis em todas as plataformas. “O Google quer que o usuário tenha uma experiência agradável e eficaz. Isso beneficia quem tem facilidades de navegação”, analisa.
Invista em aplicativos: Algumas ações podem ser feitas com o foco nos tablets e smartphones. Vale desenvolver aplicativos, além de sites, para que os usuários tenham uma experiência envolvente com aquilo que procuram. Promoções visando especificamente os usuários de tecnologia mobile também são bem- vindas É o caso de promoções feitas a partir do Foursquare, que incentivam o usuário a compartilhar a informação de sua empresa.
Bluetooth Marketing, um aliado do negócio: O vendedor de uma loja pode ser avisado sobre o que o cliente que acaba de chegar comprou da última vez em que esteve lá. Isso vai tornar o atendimento mais especial e personalizado”, sugere. A tecnologia permite também que um cliente que acaba de chegar a um restaurante tenha disponível um cardápio online e adiante seu pedido, agilizando o serviço.
- WSI - A canadense WSIé uma franquia especializada em Marketing de Internet e está presente em mais de 80 países. No Brasil, iniciou suas atividades no segundo semestre de 2010 e, desde então, está abrindo franquias por todo o Brasil. Os consultores que compõem a rede – a maior do mundo em se tratando de soluções de marketing digital – oferecem a seus clientes soluções concretas, modernas e efetivas com base nas necessidades por eles apresentadas. Com isso, contribuem para que empresas de diferentes portes e segmentos se tornem mais competitivas.

Fonte: http://www.incorporativa.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário