quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Smartphones na mira do mobile marketing


O amadurecimento no uso dos smartphones por consumidores é campo aberto para o desenvolvimento do marketing no segmento. A melhora no acesso à internet, a oferta de pacotes de dados mais atraentes e a adoção de aplicativos avançados tendem a impulsionar marcas e operadoras a realizar ações nos dispositivos móveis no Brasil.
"As funções em aplicativos que contribuem para desenvolver as marcas são aquelas que fazem sentido e leva um benefício dentro do conceito de mobilidade para o usuário. O marketing neste caso pode ser institucional, mas será mais facilmente percebido como um atributo quando estabelecer conexão direta ou indireta com o usuário", explica Fernando Estanislau, CEO da Tritone Interactive, empresa especializada na área de mobile marketing.
O executivo explica que não existe ainda indicador de que a propaganda no celular incomode o usuário. No entanto, o fato dos brasileiros estarem cada vez mais acessando a internet pelo celular inteligente, além de gastarem minutos diariamente nos aparelhos móveis acima da média mundial, coloca as empresas em situação favorável para investir em campanhas no meio.
"Avaliar a base de acessos por este dispositivo e, a partir dessas informações, enveredar para os aplicativos" é o caminho inicial apontado por Fernando para ingresso da propaganda no segmento. Mas ele vê a simplificação do marketing como a palavra chave para o sucesso das ações nos celulares inteligentes. "A tendência para os próximos dois anos no Brasil será aplicações e publicidade mobile voltado aos esportes (Copa do Mundo e Olimpíadas)", avalia.
No entanto, ele não vê ainda grande disposição de investimentos de empresas na promoção de marcas pelos smartphones, a despeito do segmento promissor no País.
"As campanhas, ações ou aplicativos que entregarem entretenimento e surpreenderem, fazendo com que as pessoas vivam experiências, envolvendo humor e o inesperado, tornando a vida e o consumo menos chato e mais agradável, farão a diferença", expõe o analista.
Por fim, ele afirma que deve ganhar força, em breve, nos aparelhos móveis os investimentos em RTB (Real Time Bidding) - modelo de propaganda on-line. A tecnologia permite que compradores e vendedores de mídia digital realizem negociação em tempo real - em uma espécie de leilão entre os interessados com taxas pré-fixadas - para cada impressão de um banner em uma mídia digital, disponível, por exemplo, nos celulares inteligentes.
A prática deverá melhorar o desempenho de campanhas de empresas, já que bancos de dados disponibilizarão informações de usuários de forma precisa, fazendo com que marcas se exponham realmente para quem interessa em um ambiente móvel, em vez do tradicional cálculo baseado somente na audiência (seja de que forma for) da mídia digital.

Fonte: http://br.financas.yahoo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário