segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Publicidade móvel global vai movimentar US$ 18 bilhões em 2014





Os gastos globais com publicidade para dispositivos móveis vão atingir a marca de US$ 18 bilhões em 2014, ante um volume estimado de US$ 13,1 bilhões no ano passado. As projeções foram divulgadas ontem pela consultoria Gartner. Para 2017, a companhia prevê que esse mercado movimente um total de US$ 41,9 bilhões.
“O crescimento será impulsionado pela melhora das condições de mercado, em questões como a consolidação dos fornecedores, a padronização da medição e as novas tecnologias de segmentação, juntamente com um interesse sustentado dos anunciantes na mídia móvel”, afirmou Stephanie Baghdassarian, diretora de pesquisas do Gartner, em comunicado global divulgado pela empresa.
Em relação aos formatos de anúncios, o Gartner projeta um crescimento mais acelerado para os anúncios em vídeo, impulsionados especialmente pelo ritmo de expansão do mercado de tablets.
Ao mesmo tempo, a consultoria destacou que os serviços de busca e de mapas irão se beneficiar do maior uso de dados de localização dos donos dos dispositivos, seja pela opção automática dos aparelhos ou pela própria iniciativa dos usuários, como o registro de lugares que visitam em aplicativos como o Foursquare e Pinterest. Essa tendência trará como reflexo direto o crescimento do interesse de pequenos anunciantes locais pela mobilidade.
De acordo com o relatório, todas as regiões do mundo vão experimentar um forte crescimento nos gastos com publicidade móvel nos próximos anos. Devido à grande escala de seus orçamentos de publicidade e o ritmo de migração para a mobilidade, a América do Norte será responsável pela maior parte dessa expansão. “É a região na qual o foco e os investimentos em publicidade são mais fortes. E é também o mercado onde a publicidade online está mais madura”, disse Mike McGuire, vice-presidente de pesquisas do Gartner.
Para a Europa Ocidental, a previsão é de que o mercado de publicidade móvel permaneça muito próximo do cenário observado na América do Norte, embora em escala um pouco menor. “O canal móvel vai se integrar cada vez mais em campanhas de publicidade 360 graus, abocanhando o espaço historicamente reservado nos orçamentos para os anúncios na mídia impressa e no rádio”, observou Stephanie.
Pelo fato de ser o mercado mais maduro em publicidade móvel, a região Ásia/Pacífico/Japão experimentará uma desaceleração anual, em média, de 30% até 2017. Segundo o Gartner, a elevada e incomum adoção de dispositivos móveis para o consumo de conteúdos digitais no Japão e na Coreia do Sul proporcionou uma vantagem inicial à região no plano dos anúncios móveis. Para os próximos anos, a consultoria prevê que economias de alto crescimento, como China e Índia, contribuam cada vez mais para a expansão do setor, tendo como pano de fundo o avanço da classe média nesses países.
Já nos mercados emergentes da América Latina, Europa Oriental, Oriente Médio e África, a expectativa é que o crescimento da publicidade móvel acompanhará a adoção de tecnologia e a estabilização dessas economias, com destaque para mercados como o Brasil, Rússia e México. A partir de 2015, o Gartner projeta que as taxas de crescimento nessa região superem a média de expansão mundial no segmento.



    Nenhum comentário:

    Postar um comentário