terça-feira, 8 de julho de 2014

H2OH! e seu infeliz case de Marketing Digital

Não há dúvida que as redes sociais exercem um forte impacto no que se refere ao posicionamento de marca




Hoje não basta apenas adquirir um determinado produto, há uma necessidade de interagir com a marca, para assim, existir também uma espécie de fidelização psicológica. Ou seja, se a empresa do produto que consumo tem valores parecidos com os meus, as chances de continuar consumindo e virar um “lover” da marca aumentam consideravelmente. 

No entanto, o contrário também se mostra verdadeiro. Foi o que aconteceu no último dia 04 de julho com a marca de água gaseificada H2OH! durante o jogo entre Brasil e Colômbia. Logo no inicio da partida, a H2OH! Postou em sua fanpage no Facebook, a imagem de um homem e uma mulher ambos vestidos com as cores verde e amarelo. Na imagem, o homem colocava a mão no peito da mulher e logo abaixo a hashtag #daumavariada no hino.


Embora um grande número de pessoas tenha curtido a publicação, as reações negativas a imagem foram imediatas. Um grande número de pessoas se mostraram indignadas com o Marketing de cunho ofensivo, o que levou a decisão de exclusão da imagem. Engana-se quem pensa que estaria tudo resolvido. Logo no inicio do intervalo os administradores da fanpage “subiram” outra imagem. Desta vez, com uma espécie de placa, semelhante a que vemos nos banheiros públicos, com um boneco do sexo feminino à frente e dois bonecos do sexo masculino atrás, seguindo a mesma linha da imagem anterior. Desta vez com a hashtag: #daumavariada no intervalo. 

Outra enxurrada de protestos, muitos seguidores da página se diziam surpresos negativamente e muito indignados com a publicação. Instaurou-se a polêmica. Mulheres solicitando um pedido de desculpas da marca, além de se posicionarem ofendidas com o marketing de cunho pejorativo e machista das imagens. Mais uma vez a marca removeu a postagem que gerou tamanha reação negativa.


Quando se esperava um pedido de desculpas às consumidoras, eis que veio a publicação seguinte: “Acreditamos na alegria e busca pela felicidade de todas as pessoas, mas nem sempre todos concordam com a gente. Tudo bem, o mais importante é sempre mantermos o bom-humor”.

Os comentários abaixo foram reações à terceira publicação da marca (SIC):
“Bom humor? Vocês deviam se retratar, isso sim!”
“A emenda ficou pior que o soneto. Um conselho à H2OH! Brasil: peçam desculpas e retirem a foto. Só isso! Sem justificativas ou outras babaquices. O respeito ao ser humano agradece!”
“Não consigo entender como um publicitário pode ter uma idéia dessas e pior, levar adiante, sem contar todos os outros profissionais que aprovaram a campanha. Sem palavras para o tamanho do absurdo”.


Houve comentários ainda mais inflamados, mas os acima citados já podem dar uma ideia da proporção negativa que a postagem tomou.
Apesar de ter acertado na decisão e excluído as duas imagens, não houve um pedido de desculpas por parte da H2OH! Mesmo um posicionamento no próprio post que gerou a polêmica, já teria sido uma boa atitude da empresa. Infelizmente, a marca deveria ter preparado melhor sua estratégia de marketing, mas como isso não aconteceu, um posicionamento mais humilde e um pedido de desculpas teriam amenizado o caso.

Afinal, vale lembrar que a alegria e busca pela felicidade que a marca preconiza se faz com respeito ao próximo, algo que passou longe da estratégia de marketing da H2OH! 

Até o fechamento dessa texto, não houve nenhum pedido de desculpas na fanpage da marca acerca do ocorrido. Preferiram manter a postura de que “nada de mais aconteceu”, logo após o que se viu foi apenas uma postagem insossa e a legenda: Amanhã não tem jogo. O que fazer? #daumavariada".

Postura infeliz que demonstra - mais uma vez - o despreparo de certas empresas, além da subestimação em relação ao poder das mídias sociais.






Nenhum comentário:

Postar um comentário