terça-feira, 2 de setembro de 2014

O sucesso de Marina Silva e seu marketing involuntário


Interessante como a competência da pessoa não está diretamente ligada ao seu sucesso profissional, principalmente no sucesso político. Venho acompanhando o interessante progresso da candidata a Presidência do Brasil Marina Silva, e fico admirado como uma pessoa com o marketing eficaz e pontuado de maneira correta pode fazer tanto sucesso.
Quando digo o Marketing da Marina Silva, não me refiro a uma ação especifica de sua campanha, mas da morte prematura do até então seu aliado e candidato ao mesmo posto antes dela Eduardo Campos. Sei que parece falta de respeito e de compaixão com a tragédia ocorrida, no entanto esqueçamos o nosso lado humano por um momento e vamos analisar os fatos que culminaram na atual campanha de Marina Silva.
A campanha para o cargo de Presidente do Brasil tem inicio, e a primeira pesquisa realizada pelo IBOPE no mês de Julho/2014, o candidato Eduardo Campos com até então sua candidata a vice Marina Silva, possuía 8% das intenções de voto, enquanto a Dilma estava com 39% e Aécio Neves com 22%, os indecisos somavam 9% e branco-nulos 16%. Vejam que um cenário como esse nos mostra um simples fato, e que em decorrência das ultimas eleições a provável ganhadora seria a Sra. Dilma mesmo que todos fossem para o 2º turno.
Porém no dia 13 de Agosto, morre o candidato Eduardo Campos. E do dia para noite a noticia se torna mundialmente noticiada, transformando o falecido candidato em um mártir pronto para se sacrificar pelas mudanças que muitos brasileiros aclamaram nos protestos do ano de 2013. E agora, quem seria o porta-voz dos desejos de Eduardo Campos?
Entra no cenário político, a figura principal de Marina Silva. Não estou dizendo que a candidata ficou feliz com a morte de seu aliado, muito mesmo que foi tudo planejado, longe disso. Gostaria de discorrer que muitas vezes o marketing de impacto e gratuito (já que a noticia da morte de Eduardo e ascensão de Marina foi noticiada no mundo todo), pode realizar verdadeiros milagres.
Tamanho foi a revira-volta que a ultima pesquisa IBOPE divulgada no dia 29 de Agosto, mostra o seguinte cenário:
Candidato Intenções de Voto (%)
Dilma (PT) 34%
Marina Silva (PSB) 34%
Aécio Neves (PSDB) 15%
Pastor Everaldo (PSC) 2%
Branco/Nulo/Nenhum 7%
Não Sabe 7%
Na atual conjuntura temos Marina Silva e Dilma empatadas com 34% das intenções de votos e apenas 7% de branco-nulos e outros 7% que não sabem.

Se pensarmos friamente e fizermos uma analise criteriosa da situação, como foi que Marina Silva subiu 26% em menos de um mês? Digo a Marina desde o principio, pois apesar de uma campanha assídua, o rosto realmente conhecido desta chapa era de Marina Silva, tanto que poucos hoje sabem que o candidato a Vice dela é o Sr. Beto Albuquerque.

Na minha analise, o crescimento da popularidade de Marina Silva, se deve sim ao desastre de Eduardo Campos, caso contrário não haveria interesse do partido PSB de por excelente lançar algum familiar de Eduardo Campos como Vice de marina Silva. Este case pode ser colocado como uma ações de Marketing de Guerrilha involuntário, pois o cliente teve muitas percas, porém colocou seu produto, na linha de grande sucesso, e pronto para dar lucros significativos, mudando toda a política Brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário