sexta-feira, 3 de outubro de 2014

7 desafios que ameaçam o crescimento da publicidade mobile



O AdWeek entrevistou algunsuma série de players da indústria para descobrir os principais desafios enfrentados com relação ao mobile. Confira abaixo a lista com as 7 principais respostas selecionadas pelo site:

1. Richard Guest, presidente da Tribal DDB: “A verdade? Formatos de anúncios criativos vergonhosamente pobres. Reduzir o banner para caber em uma tela de celular não vai ajudar a ganhar a atenção do consumidor e nem despertar o interesse de profissionais de marketing”.

2. “Se os formatos de anúncios mobile não evoluírem e melhorarem, a publicidade em dispositivos será relegada à margens - utilizada apenas para respostas diretas e geração de lead”, afirma Eric Bader, CMO da RadiumOne. “O que falta, e representa uma desvantagem para anunciantes, são as formas de entregar emoção e afeto. A publicidade móvel ainda é direcionada a respostas diretas devido à limitação de formatos, mas também deve ser a melhor maneira de se comunicar os valores da marca - emocionais e racionais - a fim de se tornar o principal canal publicitário”.

3. A migração de banners para vídeos deve acontecer, mas não será possível do dia para a noite, segundo Guillaume Lelait, general manager de marketing digital da Fetch. “Profissionais de marketing percebem que anúncios display, principalmente os banners pequenos, de 300 x 50 pixels, provavelmente não são o melhor formato”, diz ele. “Então, eles acreditam que o vídeo é um formao muito mais importante, enquanto anúncios nativos e in-stream, como Facebook, podem ser muito eficazes”.

4. David Hewitt, vice-presidente, mobile practice lead da SapientNitro, afirma: “O ambiente mobile está mais baseado na indústria e menos focado em relacionamento. Em muitos casos, ele ainda opera com uma mentalidade de venda forçada, que enxerga os consumidores como aves vagando em busca de alimento”.

5. “Se houvesse uma queda na publicidade mobile, seria a indiferença dos consumidores”, argumenta Bob Dorfman, diretor criativo da Baker Street Advertising. “Hoje em dia, os consumidores digitais são mais espertos e sábios em relação à publicidade e sabem quando estão sendo enganados. À medida que as tecnologias de publicidade móvel se tornam mais sofisticadas para atingir prospectivos clientes, os profissionais de marketing também deverão oferecer anúncios relevantes, honestos, interessantes e discretos”.

6. “O aumento de investimentos das marcas implica em demandas dos anunciantes por soluções integradas de ponta a ponta que facilitem as compras em larga escala e forneçam métricas de performance detalhadas. Além disso, as agências que controlam grande parte das despesas da marca vão querer realizar compras publicitárias de forma familiar, e isso significa comprar audiência - e não redes, anunciantes ou cliques”, afirma Craig Palli, CEO da Fiksu.

7. Mike Schneider, vice-presidente de marketing da Skyhook Wireless, diz: “O problema principal é a ineficiência da segmentação de anúncios. Agora, usuários podem optar pela personalização baseada em comportamentos em aplicativos, redes sociais e localilzação. Empresas de tecnologia publicitária resolvem esse problema utilizando esses dados para tornar os anúncios mais parecidos com conteúdo e, assim, marcas, publishers, plataformas e consumidores saem ganhando”. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário