quinta-feira, 2 de julho de 2015

Microsoft repassa para a AOL seus negócios em publicidade digital



A Microsoft vai repassar para a AOL seu negócio de venda de publicidade digital de banners (display advertising) em nove mercados globais, como parte do novo acordo de parceria assinado entre as duas companhias nesta segunda-feira. 
Pelo acordo, a AOL passará a usar o Bing como mecanismo de buscas em seu website e vai operar a publicidade digital display, incluindo anúncios mobile e vídeo, para o portfólio da Microsoft na Alemanha, Brasil, Canadá, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido. Isso quer dizer que a AOL estará comercializando os banners que rodam nesses países, incluindo no MSN, Xbox, Outlook.com e Skype. 
O movimento dos negócios de publicidade online display da Microsoft para a AOL na prática representa uma opção mais convidativa para os anunciantes. Por conta da nova parceria, empresas que negociarem com a AOL podem ter seus banners distribuídos em sites como Huffington Post, Engadget e MSN. No modelo anterior, os anunciantes teria de negociar com as duas empresas para aparecer nos mesmos sites. 
Os termos financeiros do acordo entre as empresas não foram revelados completamente. Como parte do acordo, a Microsoft vai transferir seus funcionários de vendas e trade marketing para a AOL. A empresa não revelou o número de funcionários impactados, mas uma reportagem da Bloomberg estima que o acordo deverá afetar 1,2 mil pessoas. A Microsoft vai continuar a operar seu negócio de publicidade online display nos mercados que não entraram no acordo com a a AOL. 
O acordo para a busca é uma vitória para a Microsoft, já que anteriomente a AOL utilizava o  Google como seu mecanismo de buscas. Com a parceria, a Microsoft expande novamente o alcance do Bing, embora não seja possível estimar quantos usuários novos a empresa ganhará. O Bing também é utilizado pelo Yahoo, como parte da aliança renovada entre as duas empresas.
Saída da publicidade?
Além da parceria com a AOL, a Microsoft também assinou um acordo de parceria com AppNexus para prover venda programática de publicidade em seus negócios de display  e search na Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlandia, Irlanda, Holanda, Noruega, Portugal, Suécia e Suíça. A mudança é significativa mas isso não indica necessariamente que a Microsoft esteja deixando totalmente de gerir seus negócios na área da publicidade digital.
Na verdade é o oposto, já que a receita publicitária via Bing tem crescido e o mecanismo de busca é lucrativo, segundo um relatório do Search Engine Land. Um contraste com o negócio de publicidade display da Microsoft, que tem sido frequentemente relacionado como responsável por erodir parte do lucro gerado pelas outras unidades de negócio da companhia. 
Com o novo ano fiscal começando em julho, faz sentido a limpeza da casa, movimento já "cantado" pelo CEO Satya Nadella em sua carta aos funcionários da Microsoft na semana passada. Uma porta-voz da Microsoft declarou via email que o acordo de fato é parte do movimento da companhia para retomar seu foco no negócio principal. 
"A notícia de hoje é uma evidência do aumento do foco da Microsoft em seus pontos fortes: nesse caso, a busca e a publicidade na busca e a criação de grande conteúdo e serviços para o consumidor", diz ela. "Essa evolução no nosso modo de lidar com publicidade display nos permite manter o foco enquanto trabalhamos ao lado de líderes da indústria para vender nossos serviços."
A novidade acontece no mesmo dia em que a Microsoft anunciou que está transferindo 100 engenheiros e a tecnologia usada no Bing Maps para o Uber e deixando de coletar ela mesma imagens e dados para seu serviço de mapas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário